quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

África das Joaninhas


Este é o nome com que a Patrícia divulga o seu projecto pessoal como Agricultora Biológica produtora e vendedora dos frutos da terra que ajuda a crescer. E aqui algumas das verdejantes fotografias que partilha connosco e que ilustram bem a qualidade do seu trabalho. Gratos Pati.







fotos Faia Brava II






Mais algumas das fotos da Reflorestação!





quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Festival das Artes e da Terra



Em Pínzio, Concelho de Pinhel, bem pertinho de Figueira de Castelo Rodrigo vai acontecer o Festival das Artes e da Terra.

De 4 a 8 de Dezembro, música, artes e criatividade à solta!


Mais informação em:

http://www.eventuscomsentido.net


fotos Faia Brava




Lá se foi a temporada de reflorestação deste Outono, agora só para a Primavera. Para quem esteve recordar e quem não esteve ter um cheirinho, aqui ficam algumas fotos da última das acções. Gratos ao Serra, que as disponibilizou!



FEITO AO LUME


A estrear já
dia 5 de Dezembro

No Auditório Municipal de Penela


terça-feira, 3 de novembro de 2009

A Berço de Marfim apresenta

Agenda Lunarte 2010
agenda lunar, expressão e arte


Para aqueles que não conhecem, as suas características são:
- Formato A5
- Encadernação de argolas
- Feita em papel 100% reciclado
- Informação astrológica diária sobre a Lua
- Espaço para escrever, desenhar, planeares os teus dias e o que quiseres
Tem também muitos textos, poemas, desenhos, imagens, fotos e nas primeiras páginas encontras informação de vários assuntos desde a lua, a roda do ano, limpezas ecológicas, etc.
Para encomendar ou obter mais informações contacta-nos:

Berço de Marfim sendas do feminino

www.bercodemarfim.blogspot.com
e-mail: bercodemarfim@yahoo.com

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Apelo para acção internacional 12 Outubro 2009

Pela Soberania Alimentar e pela Cultura Tradicional de Milho do México

Convocamos a população a exigir que todos os alimentos que comemos diariamente sejam livres de transgénicos.Convocamos os organismos internacionais a condenar ao governo do México por esta violação dos direitos ancestrais dos camponeses, da biodiversidade, da soberania alimentar e do princípio de precaução em centros de origem de um produto básico para a alimentação e a economia mundial.

Dia 12 de Outubro 2009, protesta na embaixada do México contra o cultivo de milho transgénico no México!

Para propôr ou juntar-te a acções em Portugal contacta ogm@gaia.org.pt



Porque esta chamada para agirmos dia 12 Outubro?A Monsanto acabou de perder 18 dos 24 pedidos para cultivo experimental de milho transgénico em campo aberto nas regiões do norte do México.

Estas regiões são muito importantes para a Monsanto, pois são áreas de cultivo comercial das variedades tradicionais de milho, de onde sai a maioria do milho que alimenta a população mexicana.O risco de contaminação das variedades nativas de milho nestas regiões é enorme. A Monsanto está a pressionar o governo mexicano para utilizar essas áreas de cultivo para fazer testes experiementais de transgénicos em campo aberto, o que ainda não aconteceu, mas pode vir a acontecer muito brevemente...

No México, o dia 12 de Outubro é um feriado nacional em que se celebra o Dia da Raça. É um dia para se celebrar a cultura e tradições mexicanas, e nos últimos anos, este dia tem sido cada vez mais utilizado para reinvidicações sociais, protestos civis e em defesa das culturas indígenas.As variedades de milho tradicionais do México têm um valor incalculável, sendo muito importante defendê-las e protegê-las, pela biodiversidade de variedades que representam e enquanto património cultural e social do México.No presente contexto, devido à ameaça do milho e transgénico e das grandes corporações que produzem e comercializam estes transgénicos, as variedades tradicionais de milho do méxico estão muito fragilizadas e em risco de serem contaminadas e desaparecerem.A Vía Campesina começou em Junho uma campanha chamada ““Fuera Monsanto y No al Maíz Transgénico” no México. De dia 11 a dia 16 de Outubro irão realizar diversos protestos em várias regiões do país. A Rede em Defesa do Milho apoia a Via Campesa e irá entregar dia 16 de Outubro as assinaturas obtidas na Declaração, que colocaram online, ao governo mexicano. Nesse dia irão também realizar-se uma série de acções e conferências de imprensa.Devemos comunicar à Rede em Defesa do Milho as acções concretizadas dia 12 de Outubro em frente às embaixadas do governo do México, de modo a que as acções internacionais sejam notícia na imprensa e media mexicanos.Neste momento, devido a um clima interno de grande tensão no México, as acções internacionais realizadas pela Europa e noutros pontos do mundo, podem aumentar exponencialmente a ressonância e pressão para com o governo mexicano de modo a não ceder aos desejos da Monsanto, e podem apoiar de forma incondicional os grupos de acção anti-transgénicos no México.

Age já!

Por favor, envie todos os comunicados de imprensa, fotos e outros materiais de acções realizadas dia 12 de Outubro em frente às embaixadas do México, e de outras acções relacionadas perto dessa data, para a Rede em Defesa do Milho (http://www.endefensadelmaiz.org ) para que possam divulgar essas acções no México.Obrigado!

O seu apoio é precioso!

Declaração da Rede de Defesa do Milho

A Rede em Defesa do Milho está a promover a seguinte declaração contra os campos de cultivo experimental de milho transgénico no México


Ao povo do México
Aos povos do mundo

Ao governo do México

À Convenção sobre Diversidade Biológica / Protocolo Internacional de Cartagena sobre Biossegurança
À Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação / FAO

As organizações e comunidades indígenas e camponesas, ambientais, de educação popular, organizações de base, comunidades eclesiais, grupos de produtores, integrantes de movimentos urbanos, acadêmicos e cientistas, analistas políticos da Rede em defesa do milho rejeitamos energicamente o cultivo de milho transgênico no México. Trata-se de um crime histórico contra os povos de do milho, contra a biodiversidade e contra a soberania alimentar, contra dez mil anos de agricultura camponesa e indígena que legaram esta semente para o bem de todos os povos do mundo.

Declaramos que o decreto presidencial do dia 6 de março de 2009, que permite o cultivo de milho transgênico, intencionalmente desconsidera que:

O México é o centro de origem e da diversidade do milho. Existem mais de 59 raças reconhecidas e milhares de variedades, que serão inevitavelmente contaminadas.

Os povos indígenas e camponeses são os que criaram e mantêm esse tesouro genético do milho, um dos principais produtos agrícolas dos quais depende a alimentação humana e animal do planeta.

O milho é o alimento básico da população mexicana. Em parte alguma nenhum lugar o seu consumo cotidiano e em grandes quantidades tem sido estudado como no México. Existem estudos científicos que, com níveis muito menores de consumo, reportam alergias e outros impactos à saúde humana e dos animais alimentados com transgênicos.

As variedades de milho transgênico que se pretendem pretende cultivar no país não resolvem os problemas da agricultura mexicana: são mais caros, pois o custo das sementes e da licença são maiores do que os cultivos convencionais; não aumentam os rendimentos: são iguais ou até diminuem, a menos que haja uma forte incidência de plagas pragas que não são freqüentes no México; requerem mais pesticidas agrotóxicos, pois emitem produzem constantemente a toxina Bt, gerando resistência e pragas secundárias que é preciso controlar com outros pesticidas agrotóxicos.

Provocarão danos à diversidade biológica e ao meio ambiente: sendo o México um país extremamente diverso, nenhum estudo realizado em outras condições é aplicável, porque as variáveis e interconexões aumentam exponencialmente.
Sendo um cultivo de polinização aberta, é impossível evitar a contaminação transgênica do milho quando ele é cultivado a em campo aberto. A contaminação ocorre, também, nos armazéns, no transporte e nas indústrias.

Os transgênicos não servem para a agricultura camponesa nem orgânica, mas irremediavelmente contaminarão as variedades nativas e crioulas de milho, além de constituir uma ameaça à produção orgânica, a qual perderá o seu nicho de mercado.

Todas as sementes transgênicas estão patenteadas e são controladas por seis multinacionais (Monsanto, Syngenta, DuPont, Dow, Bayer, Basf), resultando em uma dependência absoluta dos camponeses e agricultores nessas multinacionais e na criminalização das vítimas da contaminação.

Os povos originários do México criaram o milho e têm sido os guardiões e os criadores da diversidade de variedades que atualmente existem. A soberania alimentar e a preservação dessa diversidade dependem da integridade dos seus direitos. Por isso, a contaminação transgênica é uma ferida à identidade dos povos mesoamericanos e um atentado contra dez mil anos de agricultura. O cultivo do milho transgênico é um ataque frontal aos povos originários e camponeses e uma violação dos seus direitos.

O milho, para os povos que constituímos o México, não é uma mercadoria, mas a origem de uma civilização e a base do sustento das vidas e das economias camponesas.
Não permitiremos que as nossas sementes se percam ou sejam contaminadas por transgenes de propriedade de empresas transnacionais. Não acataremos as leis injustas que criminalizam as sementes e a vida camponesa. Continuaremos cuidando o do milho e a da vida dos povos.

Responsabilizamos pela perda e pelos danos ao milho mexicano às corporações produtoras de sementes transgênicas; ao poder legislativo que aprovou a Lei de Biossegurança e Organismos Geneticamente Modificados (Lei Monsanto) para benefício das empresas; ao governo do México; aos secretários de Agricultura, do Meio Ambiente e da Comissão Inter-secretarial de Biossegurança dos Organismos Geneticamente Modificados (CIBIOGEM), que são os responsáveis pelas medidas finais para eliminar toda proteção legal do milho.

Para subscrever esta declaração acede a; http://endefensadelmaiz.org/Nao-ao-milho-transgenico.html

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

ACÇÕES DE REFLORESTAÇÃO
Outono 2009

Reserva da Faia Brava, Algodre
s, Figueira de Castelo Rodrigo

Fins-de-semana:
16, 17 e 18 de Outubro de 2009
23, 24 e 25 de Outubro de 2009

13, 14 e 15 de Novembro de 2009


O Colectivo Germinal e a Associação Transumância e Natureza organizam para este Outono três acções de reflorestação nas margens do rio Côa, no Concelho de Figueira de Castelo Rodrigo. Vamos dar continuação ao trabalho de recuperação da àrea protegida da Reserva da Faia Brava, propriedade da ATN, com o repovoamento de áreas ardidas e agrícolas abandonadas, promovendo assim a recuperação destes ecossistemas. Haverá também a manutenção de um viveiro florestal e a recolha de sementes.

As árvores utilizadas para os repovoamentos são autóctones, como carvalhos (sobreiros, azinheiras, roble, etc.) e freixos, entre outras. Estas acções têm por objectivo criar as condições necessárias para a recuperação de um ecossistema natural, onde espécies da fauna e flora autóctones possam sobreviver e prosperar.

Os acampamentos de voluntários realizam-se de Sexta a Domingo, sendo a Sexta-feira para recepção dos participantes. O ponto de encontro é junto à Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo. A partir daqui asseguramos transporte até ao local do acampamento e regresso.


Durante os três dias da reflorestação garantimos refeições veganas/vegetarianas confeccionadas no acampamento (Pequeno-almoço, Almoço e Jantar).


Necessitas trazer tenda, saco-cama, o teu próprio prato, copo e talher, lanterna, termo, impermeável e roupa quente, botas ou galochas, instrumentos musicais, alegria e boas vibrações!!


Inscrições
Envia um e-mail para colectivogerminal@hotmail.com indicando o fim-de-semana em que pretendes participar, mais nome e telefone e aguarda a nossa confirmação. A Inscrição tem um valor de 3€ a pagar aquando da chegada ao local de acampamento.


terça-feira, 22 de setembro de 2009

Círculos de Fogo

EQUINÓCIO DE OUTONO

Fogo nos corações
fogo na noite parceira do dia
fogo da vontade de fazer artes
de fazer o Artes da Lua d'Outono
de fazer o Artes de cada dia.
De Povolide onde nos encontramos esta noite com a Família do Artes, partilhamos convosco um agradecimento ao Universo: Pelas bençãos da arte, da luz, do amor, da alegria.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

WORKSHOP DE CASA DE BANHO DE COMPOSTAGEM


26 & 27 Setembro na Quinta Cabeça do Mato.




As casas de banho de compostagem são uma alternativa ecológica em que não é preciso usar água, evitando assim contribuir para a poluição dos recursos hídricos


Estes sistemas alternativos dão a oportunidade de repor os nutrientes na terra em vez de na água.

Junta-te a nós para um fim-de-semana de aprendizagem "como fazer uma casa de banho seca " com Jody de http://www.xandika.com/

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Equinócio do Outono em Sintra


Também em Sintra se vai celebrar o Equinócio. A Voando em Cynthia, associação cultural que organiza os Encontros de Alternativas de Sintra, tem dado uma continuidade à sua activida
de com uma Programação rica e atractiva. Deixamos aqui o cartaz e podem lincar para verem mais informação do que por lá se faz.




Anulado o concurso da travessia do IC 2 sobre o Choupal !

Fotografia: Rita Miranda

Foi anunciada pelo Governo e pela Estradas de Portugal a decisão de cancelar o concurso público da subconcessão Auto-Estradas do Centro, que incluía o novo traçado do IC2 que atravessaria a Mata Nacional do Choupal, em Coimbra.

Esta informação que nos enche de alegria só significa para já um adiamento, pois o concurso foi anulado na sequência do relatório do júri de avaliação das propostas, que recomendou a não adjudicação da obra face ao grande aumento dos preços propostos pelas empresas concorrentes (Mota-Engil e Edifer) na primeira fase e na proposta final.

A própria empresa Estradas de Portugal já fez saber que se mantém empenhada em abrir um novo concurso o que só acontecerá provavelmente depois das eleições legislativas, de 27 de Setembro.

A Plataforma do Choupal que se congratulou com a decisão, já avisou que não vai desmobilizar e promete continuar a lutar em tribunal pela impugnação da declaração de impacte ambiental que permitiu o início da obra, pois só com essa impugnação será interrompida de vez a construção do viaduto e a destruição de mais um espaço natural ameaçado pela febre rodoviária

POIS CONTEM COM O NOSSO APOIO !

Acampamento Vida Verde 2009

embora não vamos estar presentes por coincidir com as datas em que vamos estar em família a germinar o Artes do próximo ano não queremos deixar de divulgar o Vida Verde, o evento com mais tradições sobre ecologia cá no extremo ocidental da ibéria:


ACAMPAMENTO VIDA VERDE 2009
Encontro de práticas por uma vida natural, simples e sustentável

18, 19 e 20 de Setembro de 2009

Quinta da Parreirinha - Serra de Silves
(Algarve)


O que é o Vida Verde:
Vida Verde é um Encontro exclusivamente dedicado à partilha de práticas ecológicas, em que uma das finalidades é informar, sensibilizar e proporcionar a todos os participantes os conhecimentos e a sabedoria para viver uma vda mais Simples, Natural e Sustentável, que esteja em harmonia com a Natureza e com as pessoas.
A crescente instabilidade social e económica no planeta, cujas repercussões agravam severamente o ambiente, levam a que cada vez mais indivíduos e famílias comecem a procurar formas alternativas de vida que não sejam destrutivas e que, acima de tudo, sejam mais equilibradas, sustentáveis e justas, a nível ambiental e social.

Para saber todas as informações, visite o site:

http://vidaverde.eco-gaia.net/


sábado, 12 de setembro de 2009

Adiado o Artes da Lua d'Outono


OH ! Pois é…


Por várias razões não nos foi possível organizar o Artes 2009:

Muitas de nós estão a criar ninho, outras preparam-se para voos mais altos; uns fizeram outro caminho e outros querem continuar.


AH! Mas sim…

Vamos reunir o grupo de projecto em Povolide (Viseu) no Equinócio de Outono, entre 18 e 22 de Setembro para fechar este ciclo e iniciar outro.

Vamos dar continuidade a este projecto iniciando a preparação do Artes da Lua d’Outono para 2010.

Se pertences à família do Artes, se queres também participar contacta-nos!

artes@luadoutono.pegada.net


fotografia: António José

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Boomerang contra a Monsanto


Por Sylvie Simons

Tradução: Renzo Bassanetti

Nos EUA, agricultores precisaram abandonar cultivos de 5 mil hectares de soja trasngênica e outros 50 mil estão gravemente ameaçados. Esse pânico deve-se a uma erva “daninha” que decidiu se opor à gigante Monsanto, conhecida por ser a maior predadora do planeta. Insolente, essa planta mutante prolifera e desafia o Roundup, o herbicida total à base de glifosato, ao qual “nenhuma erva daninha resiste”.

Quando a natureza se recupera

Em 2004, um agricultor de Macon, situada a 130 km de Atlanta, no estado da Geórgia, EUA, notou que alguns brotos de amaranto resistiam ao Roundup que ele utilizava em suas lavouras de soja.

As lavouras vítimas dessa erva daninha invasora tinham sido semeadas com grãos Roundup Ready, que receberam um gene resistente ao Roundup ao “qual não resiste nenhuma erva daninha”.

Desde então, a situação tem piorado e o fenômeno se estendeu a outros estados, como Carolina do Sul e do Norte, Arkansas, Tennessee e Missouri. Segundo um grupo de cientistas do Centro para A Ecologia e Hidrologia, organização britânica situada em Winfrith, Dorset, produziu-se uma transferência de genes entre a planta modificada geneticamente e algumas ervas indesejáveis como o amaranto. Essa constatação contradiz as afirmações peremptórias e otimistas dos que defendem os organismos modificados geneticamente (OGM), que afirmam que uma hibridização entre uma planta modificada geneticamente e uma não modificada é simplesmente “impossível”.

Para o geneticista britânico Brian Johnson, especializado em problemas relacionados com a agricultura “basta que aconteça somente um cruzamento, que pode ocorrer entre várias milhões de possibilidades. Uma vez criada, a nova planta possui uma enorme vantagem seletiva e se multiplica rapidamente. O potente herbicida aqui utilizado, à base de glofosato e amônia, tem exercido uma pressão enorme sobre as plantas, que por sua vez aumentaram ainda mais a velocidade de adaptação”. Assim, ao que parece, um gene de resistência aos herbicidas deu origem a uma planta híbrida surgida de repente entre o grão que se supõe que ele protegeria e o amaranto, que por sua vez se torna impossível eliminar.

A única solução é arrancar à mão as ervas daninhas, como se fazia antigamente, mas isso já não é possível dadas as dimensões das áreas de cultivo. Além disso, por terem raízes profundas, essas ervas são extremamente difíceis de arrancar, razão pela qual simplesmente se abandonaram 5 mil hectares de soja.

Muitos agricultores pretendem renunciar aos OGM e voltar para a agricultura tradicional, ainda mais por que os cultivos OGM estão cada vez mais caros, e a rentabilidade é primordial para esse tipo de lavoura. Assim, Alan Rowland, produtor e vendedor de sementes de soja em Dudley, Missouri, afirma que já ninguém pede sementes do tipo Roundup Ready, da Monsanto, que ultimamente representavam o 80% do volume de seus negócios. Hoje as sementes OGM estão desaparecendo de seu catálogo e a demanda por sementes tradicionais não deixa de aumentar.

Já em 25 de julho de 2005, o jornal The Guardian publicava um artigo de Paul Brown que revelava que os genes modificados de cereais tinham passado para as plantas selvagens e criado uma “super semente”, resistente aos herbicidas, algo “inconcebível” para os cientistas do Ministério do Meio Ambiente. Desde 2008 os meios de comunicação ligados à agricultura dos EUA informam cada vez mais casos de resistência, ao mesmo tempo em que o governo daquele país tem realizado cortes importantes no orçamento da Secretaria da Agricultura, que o obrigaram a reduzir e depois interromper algumas de suas pesquisas nessa área.

Link para o artigo completo no Site do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra: http://www.mst.org.br/node/7617

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Crop Circles (ou círculos das colheitas)


A temporada de 2009 dos Crop circles está prestes a terminar. Como sempre, o fenómeno encosta-nos à parede mestra do nosso racional científico! Ciência..., Edgar Alan Poe no seu soneto à ciência, canta-nos que sendo esta, filha do saber antigo, não se coibiu de destruir tudo em que tocou: os deuses, as ninfas e seres da natureza, até mesmo os nossos sonhos de Verão serão espezinhados face a tal perfídia!

Um investigador alemão do fenómeno paranormal disse algo como:" os crop circles são o único fenómeno, dito do paranormal, em que não é necessário ter poderes especiais, estados de transe,poderes mediúnicos, maquinaria complexa ou outras ferramentas para o testemunhar"; basta ir ao local e vivênciar, o resto simplesmente vem por deslumbramento ( ou não!)...Estar ali, e sentir na primeira pessoa algo que não deveria existir (a ciência relega este fenómeno, supostamente, para o cantinho dos embustes!) é uma profunda experiência, que se manifesta não só pelo que está no chão, mas, como continuum, nas atitudes e formas de estar de todos aqueles que se deslocam a tais locais.

Explicações..., existem tentativas, e para todos os gostos, mas possivelmente o mais importante não é entender mas aprender a sentir... Aparentemente na nossa dita sociedade industrializada ainda sobra um cantinho para o avassaladoramente acientífico!

Existem imensos sites para explorar, aqui vão alguns:


http://www.x-cosmos.it/cropcircles/ Base de dados internacional, constantemente actualizada.
http://www.silentcircle.co.uk/FRONT.2.html Site dedicado ao fenómeno no Reino Unido.
http://www.cropcircleconnector.com/interface2005.htm Reino Unido e internacional.
http://www.circlemakers.org/ Polémicos "fazedores" de círculos (mas com bom nível de imparcialidade).


Há mais coisas entre os Céus e a Terra do que aquilo que a Razão pode explicar!...Felizmente!...
Boas descobertas

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Encontros do Pé na Rua

Estamos atrasados bem se vê, mas não queremos deixar de referir aqui os Encontros do Pé na Rua dos nossos amigos da Encerrado para Obras


O programa completo pode ser consultado em www.encontrosdopenarua.blogspot.com

Se puderem (e ainda forem a tempo) não percam!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

PORTO ECOLOGIA NA CIDADE - 1 E 2 MAIO 2009


Facilitando sinergias entre pessoas e instituições, a AGIL fomenta actividades para o desenvolvimento criativo, social e humano do indivíduo e do colectivo, promovendo a aprendizagem, a prática e a divulgação de soluções para um modo de vida harmonioso, em tolerância e liberdade.

No âmbito da promoção de valores ecológicos e
da sustentabilidade urbana vão realizar o Porto Ecologia na Cidade”, a decorrer na cidade durante os próximos dias 1 e 2 de Maio.
Sem custos para o visitante, vai ser oferecido à comunidade urbana portuense dois dias de actividades diversificadas.

Estas surgirão organizadas em formato de itinerário, com o ciclo de workshops “Como é fazer..” e com várias iniciativas a promover a aprendizagem, a prática e a divulgação de valores ecológicos, diferentes soluções para eco-facilitar a vida aos citadinos e eco-educar adultos, jovens e crianças, fomentando a sustentabilidade do quotidiano urbano.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Próximas Actividades do Arte de Viver

O Projecto Arte de Viver e suas animadoras continuam em grande. Estas são as próximas actividades anunciadas

Cuidados de saúde através de ervas medicinais
Dia 25 de Abril @ ORÁGÁ às 15h

A participação é gratuita mas está sujeita a inscrição
Este atelier pretende abordar algumas terapias alternativas cuja base está na natureza do Ser. De uma forma informal será partilhada a história das ervas medicinai s e algumas informações úteis como reconhecer as plantas medicinais , identificar a melhor altura para a sua colheita e quais os benefícios que nos podem trazer, assim como
fornecer receitas de remédios caseiros para adultos e crianças . Então assim, vamos partilhar conhecimentos na cura de problemas que possamos ter e proceder ao seu tratamento , encorajando assim o processo de auto cura! Promotoras: Ana Rodrigues, Mirjam Haspers

Visita à Comunidade Luzku Fuzku
Dia 26 de Abril partida d@ ORÁGÁ às 06 h 30 m (em ponto)

A visita de campo à Luzku Fuzku é uma forma de conhecimento das técnicas e materiais utilizados na produção de produtos naturais com fins terapêuticos e de higiene lá produzidos.
O ponto de encontro para a partida é na Associação Orágá às 6h30, e a viagem de camioneta até à Luzku Fuzku dura cerca de 3h30m. Pedimos a tod@s os inscritos para serem pontuais. A contribuição pa
ra a refeição deste dia na Luzku Fuzku é de 5 €. A Ficha de Inscrição dever ser enviada para o oraga@zenbe.com ou preenchida na Orágá (Rua Antero de Quental, nº153) até ao dia 23 de Abril. Associação cooperante : Luzku Fuzku

Projecto Arte de Viver 2009 - www.oraga.pt.vu

Inventário do Património Rural e Cultural na Reserva da Faia Brava


Numa região profundamente marcada ao longo dos séculos pela acção humana, onde a paisagem natural se funde com a humanizada, a Associação Transumância e Natureza convida a participar num Campo de Trabalho Internacional (CTI), realizado com o apoio do Instituto Português da Juventude (IPJ) e em parceria com a APDARC (Associação para a Promoção da Arte e Cultura do Vale do Côa e Douro Superior).

Este campo pretende apoiar a inventariação de estruturas e construções rurais, assim como de histórias e saberes locais, na Reserva da Faia Brava, propriedade da ATN na ZPE do Vale do Côa. Os participantes deste CTI recebem formação teórica e prática em metodologias de inventário de arquitectura rural e de inquéritos e apoiam a ATN nos trabalhos de campo de inventário e reconstrução, que serão realizados em conjunto com especialistas convidados.

Todos os dados e conhecimento recolhidos serão compilado num relatório final, que servirá de apoio à elaboração de actividades ecoturísticas, marcação de percursos pedestres, equestres e de bicicleta, a ser implementado na Reserva da Faia Brava.


Datas: 18 a 30 Agosto 2009
Local: Reserva da Faia Brava, Algodres e Cidadelhe

Os Detalhes podem ser conhecidos no site da ATN

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Querem Despejar o Palco Oriental!

Igreja dá ordem de despejo ao Palco Oriental
Acórdão do STJ, decidiu atribuir o edifício onde está sediada a Associação Cultural Palco Oriental à Igreja de São Bartolomeu do Beato.

A Associação Cultural Palco Oriental, foi fundada em 21 de Janeiro de 1989, por artistas e grupos de teatro que já exerciam actividades desde Janeiro de 1979, no nosso espaço - Calçada do Duque de Lafões, 78 - Freguesia do Beato, Lisboa. Os grupos de teatro que estiveram na origem deste nascimento foram: Teatro “Os Patolas”, Máscara Teatro de Grupo e Triato do Biato.

Oficialmente o edifício é doado à Igreja em 1999. O seu doador foi a Associação de Serviço Social, que havia abandonado as instalações logo após o 25 de Abril de 1974. A esta Associação de Serviço Social não se lhe conhece qualquer actividade realizada após a revolução, nem nunca nos contactou a reivindicar a devolução do imóvel.

Desde 16 de Abril de 2001, que o processo movido contra a Associação Cultural Palco Oriental se encontrava nos tribunais. O Tribunal de 1ª Instância deu razão à Associação Cultural Palco Oriental ao atribuir-lhe o edifício, a Relação sentenciou que a "coisa" não estava ganha, e o Supremo, de forma justiceira acabou com um projecto cultural e artístico que resistia desde há mais de duas décadas. A Igreja recebe de bandeja um edifício onde nunca esteve nem aplicou um cêntimo.

A Associação Cultural Palco Oriental custeou obras, de largas dezenas de milhares de euros. Dezenas de pessoas que militantemente se dedicaram e investiram humana e materialmente durante tantos anos neste espaço para dotar culturalmente as populações da Zona Oriental de Lisboa, são assim despejadas.

A Associação Cultural Palco Oriental tem procurado ser desde a sua fundação uma referência viva na animação cultural da Zona Oriental de Lisboa, quer pela promoção de diversas actividades, quer pela manutenção do seu grupo de teatro, quer pela valorização de uma vivência cultural e comunitária que se enraíza nas tradições mais vincadas daquela que, talvez, tenha sido a zona mais industrializada da velha Lisboa.

Este carinho pelo teatro, traduziu-se em dar a possibilidade de acolhermos nas nossas instalações produções de outros grupos de teatro profissionais, pró-profissionais, amadores, universitários, que têm vindo a despontar entre os novos criadores no panorama teatral de Lisboa.

A Associação Cultural Palco Oriental, entidade artística sem fins lucrativos não pode, nem deve, depender de um esforço particular mas sim de um esforço colectivo, daí a necessidade de TODOS lutarmos pelo preservação da mesma.

Se está contra esta ordem de despejo, não fique quieto, defenda esta casa de arte e cultura, onde artistas que integram o Palco Oriental, estão há 30 anos.

Assine e reecaminhe a nossa petição on-line
http://www.petitiononline.com/palcoori/petition.html


Veja o nosso Blog
http://palcooriental.blogspot.com


A Humanidade não é uma Ilha


MANKIND IS NO ISLAND

O “Tropfest” é o maior festival de curtas metragens do mundo. Começou há 17 anos atrás em Sydney e no ano passado teve a sua primeira edição em Nova York. O vencedor de 2008 foi este filme totalmente filmado com um telemóvel. O seu orçamento foi de 40 dólares (cerca de 25 euros)! Vejam...


sexta-feira, 3 de abril de 2009

As nossas máquinas


Agora que a Primavera já está começada aqui fica a foto das máquinas do Germinal obtidas com a nossa campanha de inverno para nos equiparmos com material informático

E estas são as contas da campanha:

Foram recolhidos em donativos 430,00 €
O sorteio realizado rendeu 132,00 €
Total 562,00 €

Foram adquiridos:
Portátil Acer 5535 499,00 €
Impressora Multifunções 69,00 €
Total 568,00 €


Foi-nos ainda oferecido pelo núcleo de Coimbra da Quercus um monitor usado e disponibilizado um PC igualmente já usado para nossa utilização.

A todos quantos contribuíram estamos gratos e queremos partilhar com eles a alegria de ter sido um êxito esta campanha de equipamento do Germinal.

Rezo à floresta

Este é o texto que foi lido no Dia Internacional de Subir às Árvores em Coimbra

Deixa-me expressar esta vontade
de ir para a floresta,
de abandonar hábitos que não interessam,
de entrar em contacto com a vida na floresta,
de conectar-me com a vida selvagem e pura,
de ser parte da floresta,
de participar nos ritmos universais.

Deixa-me ser uma bruxa da floresta
e ligar-me a outras bruxas e bruxos das florestas,
feiticeiros e feiticeiras das muitas florestas da Terra,
rainhas e reis das florestas de todo o mundo.

Deixa nós plantar mais florestas e aprender a replantar os desertos,
deixa nós cumprir a nosso trabalho de humanos:
CUIDAR DA TERRA!

E deixa nós interligar-nos,
e deixa nós ajudar a tornar as florestas mais fortes e maiores,
as florestas grandes e pequenas,
as grandes florestas com árvores,
e as pequenas florestas com fungos dentro das fendas do betão.

Deixa todas as florestas unirem-se numa só,
e deixa todos os curadores e curadoras encontrar as suas florestas.
FLORESTAS DE TODO O MUNDO, UNI-VOS !!!


Anabela Vento e Água
2008

segunda-feira, 30 de março de 2009

Transportes - Públicos e amigos do Ambiente?

Para quem não está esclarecido sobre a verdadeira orientação da política de investimento do estado no sector dos transportes pode ver na edição do Público de hoje o bom trabalho realizado por Carlos Cipriano e Luísa Pinto. É o tema em destaque e surge nas páginas 2 e 3.

On-line o Público pode ser lido aqui: http://jornal.publico.clix.pt/



O Nosso Dia com as Árvores


Foi com grande animação que comemoramos na Mata do Choupal de Coimbra o Dia Internacional de Subir às Árvores. Ao longo de toda a tarde do passado Domingo decorreram actividades que envolveram muitas dezenas de pessoas.

Algo atrasados, ao ritmo domingueiro e acertando os relógios, fomos chegando, passeand
o pelas veredas da Mata e concentrando-nos na área central onde começamos por realizar uma sessão de Yoga do Riso muito apreciada também pelo público que desfrutava deste espaço de lazer da cidade.


Em seguida movemo-nos até perto da entrada sul onde foi lido um texto sobre as árvores e as florestas e a vontade de as preservar e cuidar. Depois só faltava mesmo o acto que nos tinha trazido ali: O contacto co
m as nossas irmãs árvores; o aproximar, sentir, abraçar e subir às árvores, o que foi feito individualmente, mas também utilizando equipamento de escalada que à última hora e por iniciativa do grupo vindo da Quinta do Castanheiro, tinha sido montado.

Infelizmente muitas das árvores com quem nos encontramos nesta data serão provavelmente mortas e sacrificadas pelo viaduto que ali vai ser construído em mais uma atitude de desrespeito pelo valor que tem a vida de outros seres para além dos humanos.

Já o sol se ia a pôr quando os últimos dos «subidores» abandonaram de coração dilatado e sorriso na face a Mata do Choupal, certamente com vontade de no próximo ano voltar a celebrar esta data.

MAIS FOTOS PODEM SER VISTAS (E PARTILHADAS) NA REDE DO DIA INTERNACIONAL DE SUBIR ÁS ÁRVORES

quarta-feira, 25 de março de 2009

27 de Março Dia Mundial do Teatro

COMEMORAÇÕES EM PENELA E COIMBRA

A Encerrado para Obras, vai comemorar o Dia Mundial do Teatro, que terá lugar na próxima sexta-feira, dia 27 de Março com as seguintes actividades:

11h00 - RENOVAÇÃO DO PROTOCOLO ENTRE O MUNICÍPIO DE PENELA E A ENCERRADO PARA OBRAS - No decorrer desta cerimónia, que terá lugar no Salão Nobre da Câmara Municipal de Penela, será apresentada a 28ª produção da companhia, o espectáculo QUESA-ME MUCHO, uma produção através da qual a companhia realiza uma incrível viagem ao Universo do Queijo.

17H00 - APRESENTAÇÃO DO ESPECTÁCULO CLONES E CLOWNS NO EXPLORATÓRIO - COIMBRA - 23ª produção da companhia, espectáculo alusivo à temática da clonagem desenvolvido em co-produção com o Exploratório Centro Ciência Viva de Coimbra.

22h00 - MÚSICA PARA SEM-ABRIGO ESPECTÁCULO PELA COMPANHIA MARIMBONDO NO AUDITÓRIO MUNICIPAL DE PENELA- Espectáculo integrado no projecto CENA ABERTA (projecto de acolhimento a companhias de Teatro Profissional promovido pela Encerrado para Obras com apoio da autarquia Penelense).


Porto.Ecologia na Cidade - 1 e 2 de Maio

"Facilitando sinergias entre pessoas e instituições, a AGIL desenvolve actividades para o desenvolvimento criativo, social e humano do indivíduo e do colectivo, promovendo a aprendizagem, a prática e a divulgação de soluções para um modo de vida harmonioso, em tolerância e liberdade. Muito nos agrada convidar-vos para a participação no evento “Porto. Ecologia na Cidade”, a decorrer na cidade do Porto durante os próximos dias 1 e 2 de Maio.

Com a realização do evento “Porto. Ecologia na Cidade” sem custos para o visitante, pretendemos oferecer dois dias diversificados de actividades à comunidade urbana portuense. As actividades surgem organizadas em formato de itinerário, um ciclo de workshops “Como é fazer..?” e com várias iniciativas a promoverem a aprendizagem, a prática e a divulgação de valores ecológicos, apresentando diferentes soluções para eco-facilitar a vida aos citadinos e eco-educar adultos, jovens e crianças, para fomentar a sustentabilidade do quotidiano urbano.

Planeamos realizar as actividades em espaços acolhedores como o Palácio de Cristal, Quintal, Centro Comercial Bombarda, Artes em Partes, Zoorb, Breyner 85, Casa do Ló e o Armazém do Chá, onde temos como objectivo apresentar aos visitantes mostras dos projectos e trabalho de associações ecológicas em actividade no Porto. O evento “Porto Ecologia na Cidade” contará ainda com exposições do trabalho de artistas plásticos, um jantar musical e tertúlias, para a discussão de soluções para o desafio de implementar hábitos ecológicos na actual experiência urbana."

O texto acima foi retirado do site http://agilnoporto.wordpress.com/.

O Programa do Porto.Ecologia na Cidade ainda está em construção.

Contacta a AGIL.PT pelos endereços electrónicos:

agil.ecologianacidade@gmail.com ou agilnoporto@gmail.com

UMA HORA É POUCO?


Então é melhor não a perdermos.


E permanecermos atentos a tudo o que podemos fazer 24h X 365 dias.


terça-feira, 24 de março de 2009

Dia Internacional de Subir às Árvores


29 de Março o Domingo em que as Árvores te esperam
A partir das 15 horas
Mata do Choupal
Entrada Principal
Coimbra


Onde quer que estejas, onde quer que as nossas irmãs árvores estejam, juntos fazemos um dia melhor.
Encontra uma árvore à tua medida e, com cuidado pelos dois, abraça-a, acarinha-a, sobe-a.
Dos ramos de uma árvore o mundo vê-se diferente, vê-se mais belo.

Vem partilhar esta tarde de festa connosco, reflectir um pouco a nossa integração entre o céu e a terra, entre o cimento e os espaços verdes.

Em Coimbra, na Entrada Principal da Mata do Choupal a partir das 15h

No Porto, 10h Jardim Botânico Começo do Passeio por algumas Árvores Monumentais da Cidade + 13h Picnic Vegetariano no Jardim das Virtudes+ Yoga do Riso + Oficina de Bicicletas

Ou onde quer que estejas, no jardim público, à porta de casa, no quintal teu ou do vizinho, escolhe a árvore a quem vais fazer companhia este dia. E depois podes ir a este sítio http://florestamater.ning.com inscrever-te, contar a história do teu dia e colocar as tuas fotos.

Organização em Coimbra: Colectivo Germinal
Organização no Porto: GAIA Porto

Mandala da Orágá

Foi este último fim-de-semana que a associação Orágá veio à Reserva da Faia Brava dar o seu contributo para a regeneração desta região numa actividade inserida no projecto Arte de Viver. E foram dois dias como a Faia Brava e as Hortas da Sabóia ainda não tinham visto com uma bela e grande família a trabalhar, a conviver, a brincar.

momento de esclarecimentos sobre as técnicas de plantio

E no final celebramos e festejamos a Orágá e sua passagem pelas margens do Côa com o desenho colectivo de uma mandala decorada com sementes e a semeadura da futura árvore da associação nos bosques protegidos da Faia Brava.

desenho colectivo da Mandala

PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2009


Da nossa história de sete anos de actividades o Colectivo Germinal guardou uma reserva própria de afectos, motivações, ideias e temas. Nos próximos dois anos queremos assumir essa nossa natureza e realiza-la. Dos pontos fundadores da nossa Plataforma Associativa – Protecção da Natureza, Ecologia Social, Acção Criativa, Intervenção Cultural – queremos fazer a nossa forma de estar, viver, sonhar, amar.

A nossa primeira resposta à crise do modelo social mercantilista, predador dos indivíduos, do ambiente, das relações pessoais e sociais, é crer que são realizáveis os nossos desejos, que imaginar e sonhar é já criar, e saber que enquanto pessoas e Colectivo Germinal manifestamos a consciência criativa e sanadora da Mãe-Terra e do Universo.

Para a realização da nossa visão, para a realização do projecto do Germinal consideramos que nos próximos dois anos será necessário construir o Colectivo com uma presença descentralizada, dando prioridade à cidade de Coimbra, multiplicando o número de associados, colaboradores e projectos. É com a atenção nesses objectivos que durante o próximo ano procuraremos realizar a totalidade ou dar inicio às seguintes acções:

Queremos organizar em torno dos órgãos sociais um núcleo que seja o coração do Germinal, que assegure a continuidade e a coordenação do trabalho associativo e obtenha a eficácia administrativa e fiscal. Que dê continuidade ao trabalho de divulgação e comunicação pela internet, eventualmente criando um site, edite um fanzine e meios de propaganda em papel, que realize materiais e acções de angariação de fundos, que dê ênfase ao recrutamento de mais associados.

Queremos ver progredir o Germinal pelo desenvolvimento dos Grupos de Projecto do Artes da Lua d’Outono e Floresta Mãe, que deverão receber o apoio que possamos transmitir. Igualmente sentimos que a nível colectivo temos necessidade de aprofundar ideias e conceitos acerca dos princípios, objectivos, motivações, métodos de intervenção e organização com que nos movemos, reflectindo sobre eles e tornando público o fruto dessa reflexão através da redacção de um manifesto do Germinal.

Queremos criar centros de actividade do Colectivo, promovendo a criação de um local em Coimbra, uma comunidade auto-sustentável, novos e diferentes locais para reflorestação.

Queremos continuar a manter a prática de agir em resposta a propostas e solicitações que nos sejam dirigidas, intervindo em debates, participando em acções, estando onde nos procurarem.

Presalves, Fevereiro de 2009

terça-feira, 17 de março de 2009

Fotos da Faia Brava

Neste link o nosso amigo Abílio Vieira põe à nossa disposição as Fotos que tirou na última Reflorestação:

Gratos pela partilha!

quinta-feira, 12 de março de 2009

Arte de Viver

O Projecto Arte de Viver, com quem o Colectivo Germinal está a colaborar, surge de um grupo de moças, mulheres, mães que sentem a necessidade de partilhar o sonho de uma educação pintada de arco-íris para a geração de Seres Livres. Este projecto tem lugar na cidade do Porto, num espaço partilhado com a recentemente criada Associação ORÁGÁ cujo objectivo é a educação formal e informal de crianças e jovens.

As temáticas das acções planeadas para este projecto estão integradas nos três pilares da sustentabilidade das comunidades: ambiente, saúde e social. Pretendem assim contribuir para a construção sustentável da comunidade, partilhando conhecimento e espaço com tod*s aquel*s que queiram participar.

Entre Março e Junho serão levadas a cabo treze acções, todas com entrada livre, a decorrer na sua maioria no espaço da Associação ORÁGÁ (Rua Antero de Quental, nº 53) mas algumas serão fora da cidade do Porto.

07/03 Trance drum circle na Praça Marquês de Pombal

08/03 Construção de instrumentos musicais a partir da reutilização de materiais - Jogos musicais

21e22 Reflorestação da mata portuguesa-Construção de mandalas com sementes, em colaboração com o Germinal

28/03 Criação de moda: Reciclagem de roupas antigas05/04 Prática de Yoga e Reiki

11/04 O papel da Mulher na sociedade: Humanização do parto

18/04 Prática de uma alimentação saudável, Reciclagem de comida

25e26 Cuidados de saúde através de ervas medicinais, Visita à comunidade Luzku Fuzku

09/05 Prática de Feng Shui e Radestesia

16e17 Permacultura urbana e compostagem - Visita à Quinta Cabeça do Mato

30/05 Reciclagem de materiais para construção de marionetas

31/05 Realização de uma performance teatral com as marionetas

13/06 Sessão de esclarecimento sobre o Programa Juventude em Acção Apresentação dos Ecoclubes

20/06 Como desenhar e estruturar um projecto.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Ecologia na Academia de Coimbra

Está já a decorrer a Semana Ecológica da Associação Académica de Coimbra que se prolongará até 14 de Março.Entre as diversas actividades programadas encontram-se saídas de campo (Serra da Lousã; Mata Nacional do Choupal); apresentação de filmes/documentários alusivos a várias temáticas acerca do meio ambiente; um workshop sobre vegetarianismo.

Destaque para um colóquio. Dia 11 de Março, às 16h30 seguido de debate, acerca dos Direitos dos Animais, com especial ênfase na realização de uma tourada na Garraiada da Queima das Fitas de Coimbra, em que estarão representadas várias associações nacionais dos direitos dos animais – Associação ANIMAL, Acção Animal, Liga Portuguesa dos Direitos do Animal, Movimento Anti-touradas de Portugal; e uma tertúlia acerca da Ecologia Social dia 14 pelas 17h.


Para mais informações contactar o Grupo Ecológico da AAC


Palheta Bendita

Construção e Execução de Instrumentos Tradicionais em Santo Tirso
A Associação Cultural Tirsense organiza, uma vez mais, a quarta edição do Palheta Bendita, a 13, 14 e 15 de Março na Escola Secundária Tomaz Pelayo.
O evento abrirá na sexta-feira dia 13 de Março com uma “Jam Session” no Barmali, na praça Largo Coronel Baptista Coelho, no centro da cidade.
No sábado e domingo, dias 14 e 15, decorrerão oficinas de execução musical com Manuel Meirinhos, dos Galandum Galundaina, na flauta pastoril, Leonor Narciso no canto e adufe, e com Toni das Gaitas nas brincadeiras musicais circenses e na gaita-de-fole com o gaiteiro tirsense António Melro.
Simultaneamente decorrerá uma oficina de afinaç&atil de gaitas-de-fole (com a galega Maria Xosé Lopez, do mítico colectivo galego Múxicas) e a oficina “Imaginar com Pasta de Papel”, com Raquel Marques, direccionada a miúdos e graúdos.
Uma vez mais direccionado para a construção de instrumentos tradicionais, nos dias 14 e 15, os participantes terão a oportunidade de aprender a construir flautas da serra do Marão com o senhor Manuel Moinhos-Novos , agricultor, moleiro e pastor do concelho de Baião, e gaitas-de-fole em cana com Alberto Baptista, de Aveiro.
Uma mostra de instrumentos tradicionais com vários construtores do país (gaitas-de-fole, adufes do Paúl, aerofones, cordofones e percussões) estará patente durante todo o fim-de-semana e, no sábado dia 14, pelas 18h30m, decorrerá a palestra «História e Construção da Viola Dedilhada» com o Eng.º Joaquim Capela.
No mesmo dia à noite, na sede da Associação dos Amigos do Sanguinhedo, decorrerá um jantar convívio entre os participantes aberto a todos os que se queiram associar à festa que prometerá muita música.
Programa e informações em WWW.PALHETABENDITA.NET